Acompanhe nossos artigos

Sempre trago atualizações e artigos relacionados a fisiterapia e treinos.

O Quadril e a dor Lombar

Todos nós nascemos com excepcional mobilidade de quadril, provavelmente excessiva, e à medida que vamos envelhecendo, vai diminuindo. Não encontramos um único bebê que não leve o pé a boca, assim como não encontramos quase nenhum que consiga fazer isso.

A grande sacada com relação à compreensão dos quadris está no fato de que precisamos de mais trabalho de flexibilidade estática, de mais trabalho direto do flexor do quadril e de mais atenção a mobilidade.

É Preciso perceber também que o quadril e a coluna lombar estão ligados. Quando falamos de quadril, falamos de coluna lombar; quando falamos de coluna lombar falamos de quadril. Não podemos pensar em um sem considerar o outro.

A verdade é que trabalhamos o quadril para proteger a coluna. Quando o quadril não atua do modo adequado, quando o quadril não se movimenta da maneira que precisamos, ativa ou passivamente, vamos ter movimento espinhal e, por conseguinte, teremos problemas espinhais.

Em muitos casos a solução para dor lombar não está na coluna, mas sim no quadril. Se pensarmos nas posturas de um corpo atlético ou em um cliente sem condicionamento, muitas vezes, veremos inclinação anterior pélvica excessiva (anteroversão).

Siga a lógica:

▪ Oblíquos externos fracos permitem inclinação anterior;
▪ Inclinação anterior possibilita o encurtamento dos psoas;
▪ Psoas encurtado inibe o glúteo;
▪ Glúteos fracos e psoas tenso impedem a extensão do quadril;

O resultado disso é substituição da extensão do quadril por extensão lombar e, subsequentemente, dor lombar ou dor anterior do quadril.
A mobilidade do quadril requer que os músculos certos movimentem a articulação do quadril para que o movimento substituto na coluna lombar seja reduzido. Isto quer dizer que a estabilidade do core está diretamente relacionada à mobilidade do quadril.

Se conseguirmos estabilidade do core e mobilidade ativa do quadril de nossos pacientes ou clientes, eles serão capazes de se movimentarem bem, se sairão melhores e sem dor.
Lógico que este artigo traz de forma reduzida uma relação entres as duas estruturas, sendo de suma importância uma avaliação detalhada e individualizada. Se você sofre com desconfortos da coluna lombar, seja durante as práticas de esporte ou durante as atividades da vida diária, nos procure para uma avaliação. Grande abraço!

Fonte: Avanços no treinamento funcional, Artmed, 2015.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Entre em contato

Qualquer dúvida que tiver, entre em contato conosco, será um prazer ajudar!

Junte-se à nossa Newsletter

Receba em seu e-mail nossos informativos, artigos e todas novidades!